Publicada em 11/01/2017 às 08h56.
Pleito para definir comando do basquete em Pernambuco
Candidato da situação, Dirceu Manguinho, e oposicionista Ricardo Lima disputam hoje bate-chapa que elegerá presidente da federação.

Equipe de basquete da Uninassau disputa os Jogos Universitários Brasileiros

Foto: Divulgação

 

Esta quarta-feira (11) é o dia de a comunidade do basquete ir à urna, na eleição que definirá o mandatário da Federação Pernambucana da mo­dalidade pelos próximos quatro anos. O bate-chapa a­con­tece em um claro cenário de situação x oposição. Enquanto a atual gestão, coman­dada por Ênio Guimarães, apoia a candidatura da chapa Avança PE, que tem Dir­ceu Manguinho e Nérole Rodrigues, um gru­po crescen­te de oposição defende a chapa IntegrAção, encabeçada por Ricardo Lima e Affini Júnior.


Mesmo sendo candidato da situação, Dirceu Manguinho entende que “continuidade” não é suficiente. É preciso mais ação para movimentar o basquete local, principalmen­te no que se refere à organização de campeonatos. Fo­ram poucos eventos realizados nas últimas temporadas e, sem o chamariz das disputas, a modalidade acaba perdendo popularidade. A campa­nha de Dirceu tem a inten­ção de resgatar campeonatos, bem como olhar mais pe­las categorias de base e pela interiorização do esporte.


“Acho importante realizar um campeonato de base que se estenda de março a novembro, preenchendo o calendário de acordo com as categorias, para não atrapalhar os estudos dos jovens. Tenho interesse em modificar o formato das competições, ter estatísticas, eleger atletas revelação, isso motiva. Outro aspecto é promover festivais com as crianças, trabalhando fundamentos básicos”, explana Dirceu.


A priori, a ideia era escolher um nome de consenso para assumir a FPB, não sendo necessário realizar, de fato, um bata-chapa. Algumas pessoas foram sondadas até que fosse consolidada a escolha por Dir­ceu, que tem uma longa trajetória no basquete do Esta­do, passou os últimos anos lon­ge do esporte, mas retornou no segundo semestre de 2016 com o projeto Aurora. A sugestão, entretanto, não a­gra­dou a todos os filiados, ori­ginando a chapa de oposição.


“Surgiram algumas restrições da comunidade do basquete em relação aos nomes apresentados pela situação para a nova presidência, nada pessoal, mas por envolvimento com o esporte mesmo. Diante disto, alguns grandes nomes do basquetebol estadual, como Rildo Accioly (Náutico), Raul Siqueira? (Unicap), Carlos Oliveira (Santa Cruz), Eduardo de Melo (VivaBasquete/Íbis) e Affini Júnior (Instituto Vitaliza/Nosso Clube), reuniram-se para dialogar e buscar possibilidades. Dessa construção coletiva, foi formada a chapa IntegrAção”, disse Ricardo Lima, que foi candidato na eleição de 2012, junto com Rafael Estevão, e perdeu no desempate pelo critério de idade após a votação contabilizar 2x2. 

Oposição clara, ele defende suas propostas. “O Interior está negligenciado. É preciso fazer competições organizadas e, através delas, buscar retorno de mídia para atrair patrocinadores e poder divulgar a modalidade. É fundamental olhar pela base, investir. Estamos unidos pelo resgate do basquete, é um movimento nunca antes visto.”




Folha PE

TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Região: Últimas notícias
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia