Publicada em 11/01/2017 às 14h28.
A cada 33 pessoas, 1 é capaz de matar sem sentir culpa
Eles são frios, acham que são imunes à punição e só são capazes de sentir euforia, prazer e dor.

 

Eles são frios, acham que são imunes à punição e só são capazes de sentir euforia, prazer e dor. Os psicopatas são pessoas bem presentes na sociedade. Será que você conhece um?


Estimativas da Associação Americana de Psiquiatria dizem que em torno de 3% da população mundial possui o transtorno de personalidade antissocial, também chamado de sociopatia, mas amplamente conhecido como psicopatia.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os números variam, mas considerando que o mundo tem cerca de 7 bilhões de pessoas, isso significa que cerca de 210 milhões de pessoas são psicopatas. Ou seja, 1 a cada 33 pessoas podem ter o transtorno.


O que é psicopatia?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a psicopatia é uma deficiência, da qual só os sintomas são planamente compreendidos.

 

 

É possível diagnosticar a psicopatia por meio do comportamento. O método mais utilizado hoje é a chamada escala Hare, criada pelo psiquiatra canadense Robert Hare, que passou mais de 30 anos reunindo características em comum das pessoas com a doença.


Ele começou sua pesquisa quando trabalhava em uma penitenciária em Vancouver, no Canadá, onde atendia os presos e montava diagnósticos de sanidade. Ao ter os freios do seu carro sabotados por um preso, de quem tinha virado amigo e acreditava ser uma pessoa legal, ele percebeu o quanto um psicopata pode manipular as pessoas, até mesmo um psiquiatra.

No Brasil, a escala foi adaptada pela psiquiatra Hilda Morana, em 2003, que conseguiu confirmar a premissa de Hare, que defende que os criminosos psicopatas diferem dos criminosos sem a condição.


 

 

 

 

 

 

 

De acordo com a psicóloga Fabiane Curvo, da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro, os sintomas começam a aparecer na adolescência. Os mais comuns são: impulsividade, transtorno de conduta (não cumprir promessas, não pagar dívidas), agressividade, comportamento sexual exacerbado, falta de remorso.


 

Causas da psicopatia

 

 

Estudos científicos alegam que os circuitos do cérebro de quem é psicopata são diferentes daqueles que não são. Observações indicam que eles ativam menos a parte chamada de Brodmann 10, relacionada com os julgamentos morais.


Não se sabe se é um problema do DNA, genético e hereditário, ou se surge depois. As hipóteses acreditam que o indivíduo já nasce com o problema e que ele surge independente do contexto social e da educação.


 

Psicopata: como identificar

 

 

A escala Hare analisa 20 itens em relação às emoções e os aspectos da personalidade da pessoa, com uma entrevista, em que cada fator é avaliado em uma escala de 3 pontos (0, 1 e 2), com um resultado total que pode ir de 0 a 40, sendo que, a partir de 20, os indivíduos já são considerados psicopatas.


Características de um psicopata

Dentre os aspectos relacionados às emoções estão:


  1. 1.Charme
  2. 5.Superestima
  3. 3.Mentira patológica (frequente e a si mesmo, inclusive)
  4. 4.Manipulador
  5. 5.Incapacidade de sentir culpa ou remorso
  6. 6.Insensibilidade
  7. 7.Falta de empatia/Insensibilidade pelos sentimentos alheios
  8. 8.Irresponsabilidade pelos próprios atos
  9. 9.Fracasso em aceitar a responsabilidade das suas próprias ações

 

Dentre as características relacionadas à personalidade e comportamento:


  1. 1.Intolerância à quietude
  2. 2.Relações parasitas: usam as pessoas que confiam nelas
  3. 3.Descontrole comportamental
  4. 4.Distúrbios de conduta na infância
  5. 5.Ausência de metas a longo prazos
  6. 6.Impulsividade
  7. 7.Desrespeito por normas

 

Tratamento

 

 

Apesar de não comprovado, o tratamento para a psicopatia existe. Ele envolve medicamentos e terapia, e vai de acordo com os sintomas mais expressivos do psicopata, por isso é necessário uma avaliação muito precisa e detalhada.


“O medicamento ajuda a reduzir a impulsividade, às vezes pode ser um antidepressivo. A terapia mais indicada é a Terapia Cognitiva Comportamental, que faz um treinamento de habilidade social e auxilia a pessoa a aprender novas habilidades para conviver socialmente e, com isso, se inserir na sociedade, sem transgredir”, explica a psicóloga.


 

Vix.com

 

 

TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Região: Últimas notícias
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia