Publicada em 19/05/2017 às 17h41.
Após dois meses, policiais que atiraram em estudante em Itambé continuam sem punição
Apesar das provas contundentes, o inquérito da Polícia Civil também segue em passos lentos e sem previsão para conclusão.

 

Estudante foi baleado por tiro de borracha, a mando de um oficial da PM, e arrastado em Itambé.
Foto: Reprodução/TV Jornal

O caso de violência policial de maior repercussão neste ano em Pernambuco continua sem desfecho. Após mais de dois meses, os policiais militares envolvidos na ação arbitrária que resultou na morte de um estudante que fazia um protesto pedindo mais segurança para a cidade de Itambé, na Mata Norte, ainda não receberam nenhuma punição do Estado. Apesar das provas contundentes, o inquérito da Polícia Civil também segue em passos lentos e sem previsão para conclusão.


O estudante Edvaldo Alves dos Santos, de 22 anos, foi baleado em 17 de março deste ano. Na ação, filmada por um dos manifestantes, os policiais aparecem fazendo ameaças e um deles afirma: “Esse vai levar um tiro primeiro? é tu que vai levar o tiro?”. Depois de ser atingido por um tiro de borracha, o estudante ainda é arrastado para a viatura policial. Em 11 de abril, depois de 25 dias internado, Edvaldo faleceu.


Segundo as investigações, o PM que dá a ordem é o capitão Ramon Tadeu da Silva Cazé. Já o policial que efetuou o disparo foi o soldado Ivaldo Batista de Souza Júnior. O capitão, inclusive, já responde a processo na Justiça por outro crime. Ele é acusado de fazer uso de documento falso. A informação foi divulgada em primeira mão pelo Ronda JC. O processo contra Ramon foi aberto em 2014, mas ainda segue em tramitação na Justiça Militar. Sem desfecho algum. De acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o caso está em fase de audiências, com ouvidas de testemunhas. Os detalhes são mantidos em sigilo. Em 2008, o policial militar também respondeu outro processo na Justiça, mas o caso foi arquivado a pedido do Ministério Público de Pernambuco.


Segundo a SDS, os policiais estão afastados das ruas. Cumprem atividades administrativas.


SDS responde

Em nota, a assessoria da Secretaria de Defesa Social (SDS) afirmou que a conclusão do inquérito policial deve ocorrer nas próximas semanas. “O delegado responsável, Pablo Carvalho, titular da 11ª Seccional, fará todos os esclarecimentos necessários. De antemão, reforçamos o cuidado técnico, a responsabilidade e o compromisso com a garantia do processo legal na condução do caso por parte das forças de segurança que compõem a SDS”.

 

 

JC

TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Região: Últimas notícias
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia