Publicada em 12/08/2017 às 17h14.
Lula diz que povo não precisa dele para retomar políticas públicas
Condenado a 9 anos e 6 meses pelo juiz Sergio Moro, ex-presidente pode ficar inelegível caso a sentença seja confirmada pela segunda instância.

© REUTERS/Nacho Doce

 

Reafirmando sua intenção de se candidatar à Presidência em 2018, o ex-presidente Lula disse que povo não precisa dele para retomar as políticas de seu governo.Em discurso na quadra da escola de samba Império Serrano, em Madureira, zona norte do Rio, o ex-presidente voltou a se comparar a Tiradentes e disse que "o que existe é a força das ideias".


"Eles [adversários políticos] pensam que é o Lula que é importante. O Lula é uma peça de uma máquina chamada povo brasileiro. Esse povo já tem consciência. O povo não precisa do Lula. O erro deles é achar que existe um ser humano insubistituível", afirmou o petista, durante a plenária que encerrou congresso da CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Condenado a 9 anos e 6 meses pelo juiz Sergio Moro, ele pode ficar inelegível caso a sentença seja confirmada pela segunda instância até o pleito do ano que vem. Ele voltou a criticar a força tarefa da Operação Lava Jato -a quem se referiu como "um partido político".


"O problema deles não é o Lula. O Lula renasce no seu filho. O problema é enfrentar as milhões de pessoas como o Lula", afirmou ele.


Sem citar os antigos aliados Sérgio Cabral (PMDB), preso desde novembro, e Luiz Fernando Pezão (PMDB), que comandam o Estado desde 2007, Lula criticou a situação financeira fluminense.


"O Rio de Janeiro é o que mais sofre com a crise resultado do golpe feito nesse país", afirmou ele, referência ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.


Ele também criticou aqueles que apoiaram o impeachment mas, agora, não se manifestaram contra o presidente Michel Temer, denunciado por corrupção passiva.


"Muitos coxinhas que fizeram manifestação não estão batendo panela. Estão batendo cabeça porque não sabem o que fazer com o país", disse.


Lula voltou a atacar a imprensa, em especial a Rede Globo. Reafirmou que, se eleito em 2018, irá fazer a "regulação dos meios de comunicação"."Quero ver o William Bonner pedindo desculpas ao presidente Lula", disse o petista. (Folhapress)

 

 

Notícias ao Minuto

TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Região: Últimas notícias
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia