Publicada em 11/11/2017 às 08h27.
Biólogos encontram tubarão pré-histórico com mais de 300 dentes
Ele possui a cabeça redonda e mais de 300 dentes, muito afiados, vale ressaltar.

Reprodução/Marian Torres


O mar ainda é um território pouco explorado pelo homem. Por acaso, uma rede jogada a 700 metros de profundidade por biólogos próximo ao sul de Portugal trouxe um animal pré-histórico: trata-se do tubarão-enguia (Chlamydoselachus anguineus), também chamado de tubarão-cobra. Ele possui a cabeça redonda e mais de 300 dentes, muito afiados, vale ressaltar.


O animal é considerado um “fóssil vivo”, termo que designa uma espécie que é conhecida por ter sobrevivido há “dezenas de milhares de anos”, como explica a professora e pesquisadora do Centro de Ciências Marinhas da Universidade de Algarve, Margarida Castro, em entrevista à BBC. “Alguns acreditam que essa espécie remonta ao período Jurássico tardio […] Está na Terra certamente antes do homem”, completa.


O tubarão-enguia capturado é um macho e tem 1,5 metro de comprimento. De acordo com a Encyclopedia of Life(Enciclopédia da Vida, em tradução livre) a espécie está quase ameaçada. Ela inclusive já foi considerada extinta, mas posteriormente reclassificada.


Acredita-se que essa espécie de tubarão estava viva quando foi pescada, mas a uma profundidade muito grande, o que dificulta a sua aparição. Aliás, o animal chegou morto na superfície, muito provavelmente porque não resistiu a mudança súbita de pressão ocasionada quando a rede foi puxada. “A maioria dos peixes chegam mortos. A rede sobe muito rápido”, esclarece Margarida.


Mas por que Tubarão-Enguia?

Você poderia se perguntar: “por que o tubarão-enguia é classificado como tubarão, e não como enguia?”. Apesar de ter a cabeça redonda, semelhante a da enguia, todo o resto do corpo, como as barbatanas, são iguais às de um tubarão. Com uma exceção: os dentes, que são os diferenciais deste predador.


O Viral

TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Região: Últimas notícias
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia