Publicada em 13/02/2018 às 07h11.
Polícia apreende equipamentos de som que perturbavam Carnaval em Tamandaré
Autoridades advertem que ação vai acontecer de forma permanente, já que esse tipo de ocorrência era uma queixa recorrente da população.

Tamandaré recebe grande fluxo de turistas fugindo da folia do Carnaval

Foto: Alfeu Tavares / Folha de Pernambuco

 

Quem fugiu para Tamandaré em busca de sossego durante a folia está com um motivo extra para comemorar. A 10ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) lançou uma operação de tolerância zero em relação à poluição sonora, e da sexta (9) até o momento já confiscou seis aparelhos de som.

“Fazemos ações tanto educativas como repressivas. As ocorrências diminuíram bastante desde janeiro, quando começamos com essa operação em conjunto com a delegacia de Tamandaré”, conta o comandante da 10ª CIPM, major Fernando Júnior. As ocorrências estão sendo recebidas sem que haja a obrigação de comparecimento das vítimas, e após lavrar o termo circunstanciado de ocorrência (TCO) os equipamentos ficam retidos até que o juiz dê andamento ao processo e arbitre um valor de fiança. 

Ainda segundo o major, havia um grande volume de queixas nesse sentido, e por isso a ação não será sazonal. “Vamos trabalhar de forma ininterrupta, também após o carnaval”, adverte. “Muitas pessoas estão colaborando com a polícia e ligando para agradecer nossa intervenção”, acrescenta.


Um dos muitos veranistas que aprovam a novidade é o empresário Luiz Eduardo Silva. Pai de Luiza e Izabela, de três anos, e de Tiago, de quase um, ele se desesperava com o barulho. “Frequento a praia há quase uma década, e apesar de haver leis regulando isso, muita gente não respeitava os limites. Eu sentia a casa vibrando com as batidas mais graves. Era enlouquecedor, especialmente para quem tem crianças pequenas. Aqui mesmo na minha rua eram três casas competindo para ver quem colocava o som mais alto. No domingo, a polícia veio, levou os equipamentos e agora a paz voltou”, comemora.

A 10ª CIPM é uma das corporações de funcionamento mais recente em Pernambuco: foi inaugurada em novembro de 2017, conta com 140 policiais e atende a cinco cidades do Litoral Sul (Tamandaré, Serinhaém, Rio Formoso, Barreiros e São José da Coroa Grande).

Saiba Mais

Muita gente acha que, se for entre 8h e 22h, não há problema em fazer barulho. Porém, de acordo com o artigo 42 da Lei de Contravenções Penais, não existe uma hora determinada para que alguém possa utilizar sons tão altos que cheguem a perturbar o sossego alheio e incomodar os vizinhos. Em nenhum horário os ruídos podem ultrapassar o limite de 70 decibéis. E quem se sentir lesado, não precisa acompanhar a polícia até a delegacia: a lei diz que uma pessoa que notifica acerca de uma infração penal não precisa se identificar.

 

 

Folha PE

TODOS OS COMENTÁRIOS (4)



Login pelo facebook
Postar
 
  • ELIAS MONTEIRO BISPO FILHO10 dias atrás
    Excelente medida contra aqueles que desrespeitam o direito alheio.
  • Francisco 9 dias ½ atrás
    A polícia deve combater quem tem reboque de som grande e deve andar com o aparelho que mede os decibéis e não quem tem seu som de casa ligado dentro das normas. Em Tamandaré com certeza não venho mais pois tinha uma vizinha maluca que não deixava agente ligar o som nem abaixo dos 70 decibéis .
  • Lucia 9 dias ½ atrás
    Sensacional..há muito a polícia já deveria tomar uma atitude.. a gente que quer tranquilidade , paga seus impostos corretamente e nada! Cada um em suas casas querem ouvir suas musicas e cada um pensando em si somente, no fim acaba virando um tormento, ninguém tem tranquilidade e não aproveita nada..
  • Antônio9 dias ½ atrás
    Excelente. A polícia está de parabéns. Vamos continuar cumprindo a Lei que tudo fica melhor para todos
Região: Últimas notícias
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia