Publicada em 17/03/2018 às 10h46.
Parlamento reelege Xi Jinping para novo mandato de 5 anos na China
No último dia 11 de março, o Parlamento chinês já havia aprovado uma reforma constitucional que permitiu a permanência de Xi Jinping no poder.

(Foto: Greg Baker / AFP Photo)

 

 

A Assembleia Nacional Popular (ANP, Parlamento) votou neste sábado (17), por unanimidade, em favor do presidente da China, Xi Jinping, para que ele continue no cargo durante um segundo mandato (2018-2023), na sessão plenária realizada no Grande Salão do Povo, em Pequim.


Xi, que graças à reforma constitucional também aprovada pela ANP no dia 11 de março, pode continuar na presidência da China após 2023, foi eleito com 2.970 votos a favor, nenhum contra e nenhuma abstenção.


Na mesma sessão foi aprovada - com apenas dois votos contra e duas abstenções - uma ambiciosa reestruturação do governo chinês que traz mudanças em 11 ministérios e o desaparecimento de algumas administrações estatais.


Menos de uma semana após conseguir uma reforma constitucional que lhe permitirá se reeleger indefinidamente, Xi Jinping, de 64 anos, obteve o voto dos cerca de 3 mil delegados presentes na sessão anual ANP.


O plano de reforma estatal, apresentado na última terça-feira (13) e debatido pelos legisladores da ANP ao longo desta semana, contempla entre outras mudanças a designação de um ministério para os veteranos do Exército chinês e outro para a atendimento de desastres naturais e emergências.


Outras mudanças incluem a reconversão do Ministério da Cultura em Cultura e Turismo, com o desaparecimento da administração estatal que até agora estava lidando com questões de turismo, ou a substituição do Ministério da Terra e Recursos pelo de Recursos Naturais.


Além das mudanças ministeriais, a reestruturação envolve a fusão das administrações reguladoras de bancos e seguros, uma mudança com o objetivo de aumentar a estabilidade financeira da segunda economia mundial.

 

G1

TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia