Publicada em 14/09/2018 às 09h42.
Sport precisa acabar com seca de gols para vencer
Time tem que melhorar desempenho ofensivo para atingir meta contra rebaixamento, uma missão difícil mas não impossível.

Contratado para resolver, Brocador ainda não desencantou

Foto: Anderson Stevens

 

São 14 rodadas restantes no Campeonato Brasileiro 2018. Desse total, o Sport precisa vencer sete jogos para alcançar os 45 pontos, apontados pelos matemáticos como suficientes para se livrar do rebaixamento. A missão parece árdua, mas não impossível. Porém, para vencer é preciso marcar, no mínimo, um gol, tarefa que tem se tornado difícil de ser cumprida no Leão. Nos últimos 13 jogos disputados nesta Série A, os rubro-negros marcaram apenas cinco gols. Uma média pífia de 0,38 por partida. A situação piorou ainda mais nas últimas seis rodadas, com apenas um gol marcado, uma média de 0,2 por jogo. O tento foi anotado por Gabriel, na vitória diante do Paraná, o único triunfo leonino desde a volta do Brasilerão após a disputa da Copa do Mundo.


Nomes como Hernane Brocador, Marlone, Rogério e Andrigo não conseguem botar a bola para dentro. Contratado para resolver o problema da escassez de gols, Hernane Brocador fez cinco jogos nesta sua segunda passagem pela Ilha do Retiro e até agora não conseguiu balançar as redes. A diretoria rubro-negra então foi para uma segunda alternativa a fim de terminar com a "seca" e contratou Matheus Peixoto, um dos destaques do Bragantino no acesso à Série B, com 11 gols. O jogador deve ficar como opção no banco de reservas diante do Corinthians.


Na tentativa de mudar esse quadro, o treinador Eduardo Baptista já sinalizou mudanças no setor ofensivo para o duelo diante da equipe paulista. E uma delas deverá ser a entrada do meia/atacante Morato, que volta a ganhar chance entre os titulares. Na movimentação da última quarta-feira, ficou a dúvida entre Andrigo e Morato. Nesta quinta-feira (13), em treinamento realizado no CT José Médicis, o comandante rubro-negro escalou o time com: Magrão; Ernando, Léo Ortiz, Durval e Sander; Marcão, Jair e Neto Moura; Morato, Cláudio Winck e Hernane. Durante os trabalhos, Cláudio Winck deixou o gramado se queixando de dores na coxa esquerda, abrindo uma vaga para Rogério, que, em má fase, perderia a vaga no time. O Departamento Médico irá avaliar Winck para decidir se o atleta terá condições de encarar a equipe paulista. Caso seja vetado, Rogério permanece no time.


Na movimentação desta quinta-feira (13), Eduardo Baptista trabalhou bastante a velocidade da transição do meio para o ataque e se mostrou incomodado com as falhas nas finalizações dos atletas. Nesta sexta-feira, a equipe realiza o seu último treinamento antes de embarcar para São Paulo, no final da tarde.

 

 

 

Folha PE

TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia