Publicada em 24/01/2020 às 09h22.
Náutico fica no 1x1 com o River
Timbu teve a chance da vitória nos acréscimos, mas Salatiel desperdiçou a penalidade nos Aflitos.


Imagem: Divulgação / Redes Sociais 


Cinco empates. Três em amistosos, um no Clássico dos Clássicos contra o Sport, pelo Campeonato Pernambucano, e o mais recente, na quinta (23), pela Copa do Nordeste.


O Náutico não sabe o que perder em 2020, mas também não sentiu o gosto da vitória. Diante do River/PI, nos Aflitos, o Timbu esbarrou no goleiro Mondragon, que defendeu um pênalti de Salatiel nos acréscimos, e ficou no 1x1. Nem a presença de Kieza, que fez sua estreia em 2020 com a camisa alvirrubra, foi suficiente para acabar com o jejum de triunfos do Timbu.


Os minutos iniciais deles na Copa do Nordeste 2020 foram parecidos com o da edição 2019. Para a tristeza dos pernambucanos. Há um ano, também na estreia do torneio, o time tomou um gol do Fortaleza, nos Aflitos, antes do primeiro minuto.


No mesmo estádio, mas diante do River e com dois minutos no cronômetro, o Timbu novamente foi vazado cedo. Eduardo recebe bom passe no meio da zaga e chutou para boa defesa de Jefferson. No rebote, o goleiro não conseguiu impedir o tento do camisa 9 dos piauienses.


Com a desvantagem precoce, o elenco pernambucano intensificou ainda mais a pressão no campo de ataque. Matheus Carvalho veio buscar jogo pelo meio, ajudando Jean Carlos na construção das jogadas. Na frente, Salatiel e Álvaro quase fizeram uma dobradinha para o gol. O primeiro deu ótimo passe para o camisa 7, que só não balançou as redes por conta da defesa de Mondragon.


Aos 34, Salatiel recebeu de costas para o gol e foi derrubado na área. Pênalti não marcado pela arbitragem, causando revolta nos alvirrubros. O gol não veio com jogada trabalhada ou penalidade, mas na base do bate-rebate. Em uma das diversas chances de bola parada, Jean Carlos cobrou escanteio, a bola ficou passando de pé em pé até chegar a Matheus Carvalho, que empurrou para as redes, deixando tudo igual nos Aflitos.


Com mudanças na cabeça de área, com as entradas de Luanderson e Wagninho nas vagas de Josa e Rhaldney, o Náutico não conseguiu manter no início do segundo tempo a mesma intensidade do primeiro.


Aos 20, depois de pedidos da torcida, Gilmar Dal Pozzo fez sua última modificação e a mais aguardada de todas: Kieza. Na primeira chance, o camisa 9 quase incendiou os Aflitos. A matada no peito foi com estilo, mas o chute não encontrou o caminho das redes.


Com a defesa no chute de Álvaro e duas ótimas intervenções nas cabeçadas de Lombardi, Mondragon já estava levando o troféu de melhor em campo. Mas o camisa 1 ainda foi além.


Aos 48, o árbitro assinalou pênalti para o Náutico. A torcida pediu Kieza, mas foi Salatiel quem cobrou. Foi lentamente para a bola e... parou nas mãos do goleiro do River. O herói do empate em 1x1 na sede deles. 


FONTE: FOLHA PE

Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Nova Mais. A responsabilidade é do autor da mensagem.
TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia
 
Nova + © 2020
Desenvolvido por RODRIGOTI