Publicada em 24/11/2022 às 09h03.
Raquel admite pela 1ª vez estar preocupada com a transição no Estado e cobra "números verdadeiros"
Declaração foi dada ao jornalista Roberto D'Ávila, da Globonews, na noite da última terça-feira.


Raquel em entrevista à Globo News / Reprodução do google.


Treze dias depois de sua equipe enviar o pedido inicial de informações ao atual Governo, a governadora eleita, Raquel Lyra (PSDB), admitiu pela primeira vez estar preocupada com o processo de transição no Estado e cobrou "números verdadeiros". 


Em Pernambuco, tenho olhado a transição com bastante preocupação.Tenho visto muitos atos administrativos sendo praticados de última hora pelo governo que está saindo agora, o governador Paulo Câmara. Publicando um GT para projetos estratégicos, fazendo transações judiciais e extrajudiciais", relatou em entrevista ao jornalista Roberto D'Ávila, da Globonews, na noite da última terça-feira (22).


A governadora eleita apontou também que o atual gestor está, só agora, convocando aprovados em concursos públicos. A seleção, realizada em agosto e que teve 2.907 vagas para a Educação, por exemplo, deve ser homologada ainda este mês.


"Sou servidora pública de carreira desde os 20 anos, sou a favor do servidor público, mas fazer isso em final de mandato é sempre bem preocupante", apontou Raquel.


Segundo a ex-prefeita de Caruaru, sua equipe de transição está atenta para "enxergar o que está acontecendo agora e o impacto que isso vai ter para o próximo governo, para os próximos anos".


Autora da Lei 260/2014, que trata da transição de mandatos em Pernambuco, Raquel Lyra disse ter feito, na condição de deputada estadual, alianças com o Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público, para que na mudança de governo a continuidade dos serviços públicos fosse garantida com eficiência.


"E transparência no trato com a coisa pública que não é minha nem sua. É de todos nós", sentenciou.


A tucana disse que quer começar o primeiro dia de governo - 1º de janeiro de 2023 - "governando de fato e de direito". E para isso, enfatiza, precisa de "números verdadeiros". "Isso não pode se embolar no meio do caminho com ações que estão sendo tomadas de última hora, a meu ver, de maneira açodada", disparou no fim da entrevista que durou aproximadamente meia hora.


Respostas


O Governo lembrou já ter avisado em nota que a portaria sobre o grupo de trabalho para projetos estruturadores, publicada no último dia 18, no Diário Oficial, será revogada. O GT existe desde 2019 e a publicação serviria apenas para atualizar a composição. Como não havia mais reuniões previstas para este ano, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco decidiu cancelar.


O GT é presidido pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e ex-prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB). A decisão de anular a portaria foi tomada horas depois de a equipe de Raquel Lyra, coordenada pela vice-governadora eleita, Priscila Krause (Cidadania), cobrar explicações.


A Casa Civil, comandada pelo secretário José Neto, que também coordena a equipe de transição da gestão atual, reforçou o que já havia afirmado na primeira reunião entre os dois grupos: as contas estão equilibradas e a saúde financeira do Estado é boa.


O governador Paulo Câmara não quis responder às críticas. A Secretaria de Imprensa disse que as notas da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e da Casa Civil já contemplavam.


FONTE: FOLHA DE PERNAMBUCO.



Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Nova Mais. A responsabilidade é do autor da mensagem.
TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia
 
Nova + © 2023
Desenvolvido por RODRIGOTI