Publicada em 29/11/2022 às 10h08.
'Acostumamos com ofensas no Brasil', comenta Gil sobre insulto na Copa
O cantor foi insultado por um grupo de bolsonaristas durante um jogo do Brasil, no Qatar.


Gilberto Gil.


O cantor e compositor Gilberto Gil recebeu uma espécie de desagravo, nesta quinta-feira (28), no estádio 974, onde assistiu à vitória da seleção brasileira sobre a Suíça (1 a 0). Na semana passada, ele foi insultado por um grupo de bolsonaristas durante um jogo do Brasil, mas dessa vez o público o recebeu com carinho.


Na área VIP do estádio, o cantor e sua mulher, Flora, foram abraçados por uma dezena de torcedores, e todos quiseram demonstrar ao baiano de 80 anos que a atitude dos bolsonaristas que o xingaram não representa o sentimento da maior parte da população brasileira.


"Nós somos apaixonados por você", disse um dos torcedores que se aproximaram de Gil e pediram fotos. "Você é o cara." Gilberto Gil agradeceu e posou com todos. Entre um encontro e outro, parou para falar com a reportagem. Disse se sentir feliz com a união nacional que o futebol é capaz de proporcionar.

"Ainda bem que o futebol tem essa função. Se [a seleção brasileira] avançar bem na Copa, vai dar um pouco dessa alegria, desse conforto. E aí as pessoas podem voltar a se encontrar, dialogar."


Na semana passada, Gil estava no estádio Lusail quando um grupo de bolsonaristas o hostilizaram, falando palavrões e provocando-o, fazendo referências à Lei Rouanet. Após o vídeo viralizar, um dos bolsonaristas foi identificado e publicou um texto explicando sua ação.


"Eu não tive nada a ver com aquilo", disse Gil ao comentar o episódio. "Eram três rapazes, vieram com aquela coisa... Vou fazer o quê? De certa forma, nos acostumamos com esse caráter ofensivo no Brasil. Nos últimos anos ficou assim, essa peleja, essa coisa mais violenta. Mas eu sou de boa."


O cantor revelou que a viagem ao Qatar já vinha sendo planejada pela família há um ano, fruto de um desejo antigo de assistir a uma Copa do Mundo com os netos. Além de Flora e Gil, vieram ao Qatar Francisco e João. A família agora vai a Paris, onde Gil se apresentará. "Se o Brasil avançar, quero voltar pra final", afirmou.


A família contatou advogados no Brasil para se orientar sobre quais procedimentos podem ser adotados em relação aos ofensores. A equipe se concentra por enquanto em identificar as pessoas envolvidas e estudar quais procedimentos legais caberiam contra os bolsonaristas. Flora afirmou que não acionou a polícia local por "não querer estragar esse clima de Copa" que a família está vivendo em Doha.


De acordo com o Código Penal do Qatar, insultar alguém em público é crime e pode levar à prisão por até um ano, além de multa. A Fifa e o Comitê Supremo, que organizam a Copa, foram procurados pela reportagem, mas disseram que não comentariam o incidente.


Hoje Gil tem cabeça apenas para o futebol. "A primeiro tempo foi tenso", afirmou ele sobre a vitória do Brasil. "O sistema sem Neymar ficou complicado. Depois, quando entraram Antony e Rodrygo a coisa andou", seguiu, antes de ver sua análise tática interrompida por mais um pedido de foto.


FONTE: NOTÍCIA AO MINUTO.



Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Nova Mais. A responsabilidade é do autor da mensagem.
TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia
 
Nova + © 2023
Desenvolvido por RODRIGOTI