Publicada em 06/12/2022 às 09h30.
Iphan notifica estado sobre a suspensão de parte de terreno do Espaço Ciência
Órgão disse que caso requer estudos ainda não realizados.

Imagem meramente ilustrativa /  Reprodução: Diário de Pernambuco.


Após desaprovação da doação de uma parte da área do Espaço Ciência, pelo Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPC-PE) e questionamentos do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) enviou um ofício ao governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), e emitiu uma nota técnica sobre a doação do museu para a iniciativa privada.

 

O Espaço Ciência, localizado no Grande Recife, teve parte de seu terreno cedido a duas empresas privadas para a instalação de um data center e um ponto de chegada de um cabo submarino de internet. A parte doada do terreno tem cerca de 8 mil metros quadrados e o anúncio da doação, no início de novembro, surpreendeu a direção do Espaço Ciência. A direção recebeu a notificação de uma empresa privada exigindo a retirada urgente de objetos em exposição para que as obras fossem iniciadas.

 

A medida foi bastante criticada pela comunidade científica. O espaço recebe visitas, principalmente de escolas que promovem o conhecimento científico de forma descontraída para crianças e adolescentes. 

 

A notificação do ofício enviado ao governador foi confirmada pelo Iphan nesta segunda-feira (5), o Instituto lembrou que a região é Área de Entorno e de Proteção da Paisagem do Sítio Histórico de Olinda, deste modo qualquer obra no espaço só pode ser realizada após análise técnica e aprovação do órgão federal, o que não havia ocorrido. Ainda no documento, o Iphan sugere ao governo que utilize a antiga Fábrica Tacaruna para o data center.

 

A Fábrica Tacaruna é uma antiga fábrica de açúcar em tabletes que atualmente está desativada. Foi inaugurada em 1895 e transformada em refinaria de açúcar no século 20. Em 1925 se transformou na Companhia Manufatora de Tecidos do Norte e foi oficialmente desativada em 1994, tombada pela Fundação do Patrimônio Artístico e Cultural de Pernambuco (Fundarpe) e pelo Conselho Estadual de Cultura.

 

Em nota, o Iphan pede que a fábrica seja aproveitada e restaurada a fim de cumprir o previsto no Plano Diretor de Olinda. O Instituto ainda afirma que a área do Espaço Ciência é de grande relevância histórica e urbana para Olinda e o Recife,. O governo do estado, por sua vez, já respondeu sobre o assunto, em nota, alegando que a doação do terreno não trará prejuízo ao Espaço Ciência, pois haverá a ampliação do outro lado. 


FONTE: DIÁRIO DE PERNAMBUCO.

Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Nova Mais. A responsabilidade é do autor da mensagem.
TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia
 
Nova + © 2023
Desenvolvido por RODRIGOTI