Publicada em 18/05/2017 às 08h50.
Princesa japonesa abdica da realeza para se casar com plebeu
É o que parece estar prestes a acontecer com a Princesa Mako, neta mais velha do Imperador Akihito.

 

 

Foto: Reprodução/Curiosamente


As regras da realeza japonesa são claras: quando as mulheres da família imperial se casam – geralmente, com um plebeu, perdem automaticamente seu título real. É o que parece estar prestes a acontecer com a Princesa Mako, neta mais velha do Imperador Akihito. Apesar de nenhum anúncio oficial ter sido feito ainda – como de praxe nos círculos imperiais japoneses, ela vai se casar com um pleubeu: seu colega de universidade, Kei Komuro.


Os dois são formados pela Universidade Cristã Internacional e se conheceram há cerca de cinco anos, em um restaurante, aonde marcaram um encontro para discutir a possibilidade de prosseguirem com seus estudos no exterior. A Princesa Mako já teria apresentado Komuro aos seus pais, que aprovam a união.


A notícia vazou na última terça-feira (09/05) e no dia seguinte a imprensa japonesa procurou por Komuro no escritório de advocacia aonde ele trabalha. De acordo com o Telegraph, o rapaz declarou apenas que “falaria no momento certo”. Já a Agência da Casa Imperial ainda não emitiu nenhum pronunciamento oficial.


As tradições envolvendo a família imperial do Japão tem passado por grandes mudanças, recentemente. Em agosto de 2016, o Imperador Akihito manifestou sua vontade de abdicar do trono – o primeiro a fazê-lo em mais de duzentos anos. Ele teme que a idade avançada (ele hoje tem 83 anos) o impeça de cumprir adequadamente seus deveres. O parlamento japonês deve aprovar em breve uma mudança nas leis que permita a renúncia de Akihito.


Outra mudança, porém, ainda não está em discussão: a permissão de que mulheres possam ocupar o cargo de Imperatriz – ou mesmo que possam continuar na família imperial após o casamento, o que poderia ser um primeiro passo para tal. E esse fato pode ser preocupante para a linha sucessória – principalmente com o casamento de Mako.


Isso porque o número de herdeiros da família imperial japonesa está cada vez menor. Os dois filhos do Imperador Akihito e seu único neto, o Príncipe Hisahito, são atualmente os únicos herdeiros ao trono. Com a eventual morte de seu pai e de seu tio, e o casamento de suas primas – as outras três netas de Akihito, que também deixam de pertencer à família imperial caso isso aconteça – pode fazer com que Hisahito um dia venha a se tornar o único membro da realeza japonesa, caso a atual legislação seja mantida.


Curiosamente

TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Região: Últimas notícias
Curiosidades
Policia
Pernambuco
Fofoca
Política
Esportes
Brasil e Mundo
Tecnologia